domingo, 14 de novembro de 2010

Sexta-Feira























Em dois lugares se fez o meu desejo:
Num, reinava a treva absoluta,
Todavia, ouvia-se vozes, risos, passos
De perto.
Quase em face de nossa face.

Noutro, a luz da lua
Banhava-nos a face,
E continuavam os risos demasiados,
Distantes um pouco.
Mas ainda escutávamos. 








Amauri Jr.

Particularidades
























Que sei eu deste emaranhado de poeira cósmica?
Ou, deste círculo vicioso de água e sal?
Ou ainda, desta minúscula partícula de matéria
Que povoa a Terra?

O homem foi, é e será...
Todas as invenções já conhecidas.
E também dono dos inúmeros segredos
Ainda não revelados.

Mesmo com seu infinito, o universo,
Tem suas particularidades à vista;
O mundo é um livro aberto ao pé
Dos valores hoje vigentes.

O homem é o mistério a ser desvendado;
A pétala que falta a rosa para beatificá-la;
O céu hediondo, vermelho, que há de suar sangue;
E a vida que fervilha em seu sangue onipotente.










Morais Oliveira.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Desejos


























Numa noite de estrelas cintilantes
Embalados pelo som que alguém cantava
Meus desejos de amor lhe revelava
Apoiada em teu ombro aconchegante.

Nos meus olhos uma lágrima brilhante
Com mais uma minha face se banhava
E o frio coração que me abraçava
Tinha planos de escrever um conto adiante.

Um relógio despertou-nos para a vida
Uma casa, um lago, um luar
Uma rede, uma varanda, Ilusão!

Entre as certezas do nosso coração
Todo amor tem seu ponto de partida
E um infeliz momento a se findar.










I. Évans.

sábado, 6 de novembro de 2010

Amantes!























Que do amor que eu sinto,
Nenhum outro sentimento se iguala.
Que da devoção que emprego,
Nenhum outro devoto se dedica.

Os sonhos que sonhei, porém
Não se concretizarão
Por teu desejo de não querê-los,
Assim realizados.

Teus sonhos ainda figuram
Nos meus pensamentos desertos
De tristezas desertoras,
Que me arrancam a calma, estou só.

E minhas vontades se morrem
Com teus fugazes desejos
Figurados em nossos lábios quentes
E nossos abraços abrasadores.










Amauri Jr.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Da Literatura.






















Da poesia te guardo toda
Remendada de minha força maculada:
Dos Sonetos
Teus olhos tristes
Dos quais me inspiram poesia.
Das cantigas
Teu carinho
Cujo segurança me eleva.
Das décimas
Teu sorriso desordeiro
Que me sufoca.
Das baladas
Teu afago cativante
Que me destroça a calma.

Da prosa
Retomo-te inteira
Refeita de quimeras desatentas:
Do romance
Recordo-me de teu beijo libertino
Cuja fonte de desejo me refresca o prazer.
Dos contos
Lembro-me de tua intemperança
Que me reduz a um amante.
Da crônica
Teu afeto que me transmite vida.
Das novelas
Nossas paixões casuais
Que me cogita saber ter.









Amauri Jr.